Formação de Vigilante(CFV)

1. PERFIL DO VIGILANTE
O vigilante deverá ter o seguinte perfil profissional:

  1. Preventivo/ostensivo: atributo de o vigilante ser visível ao público em geral, a fim de evitar a ação de delinquentes, manter a integridade patrimonial e dar segurança às pessoas;
  2. Proatividade: ação de antever e se antecipar ao evento danoso, com o fim de evitálo ou de minimizar seus efeitos e, principalmente, visar à adoção de providências para auxiliar os agentes de segurança pública, como na coleta das primeiras informações e evidências da ocorrência, de preservação dos vestígios e isolamento do local do crime;
  3. Relações públicas; qualidade de interação com o público, urbanidade, sociabilidade e transmissão de confiança, priorizando o atendimento adequado às pessoas com deficiência;
  4. Vigilância; atributo de movimento, dinamismo e alerta, contrapondo-se ao conceito estático;
  5. Direitos humanos; respeito à dignidade e à diversidade da pessoa humana, compromisso que o Brasil assumiu perante a comunidade internacional e princípio constitucional de prevalência dos direitos humanos;
  6. Técnico-profissional; capacidade de empregar todas as técnicas, doutrinas e ensinamentos adequados para a consecução de sua missão;
  7. Adestramento; atributo relacionado à desenvoltura corporal, com aprimoramento físico, domínio de defesa pessoal e capacitação para o uso proporcional da força através do emprego de tecnologias não-letais e do uso da arma de fogo, como último recurso de defesa própria ou de terceiros;
  8. Higidez física e mental; certeza de não ser possuidor de patologia física ou mental;
  9. Psicológico; perfil psicológico adequado ao desempenho do serviço de vigilante; e
  10. Escolaridade; 4ª série (exigência legal).

2. OBJETIVOS
2.1. Gerais
São os objetivos gerais do Curso de Formação de Vigilante – CFV:

  1. Dotar o aluno de conhecimentos, técnicas, habilidades e atitudes que o capacitem para o exercício da profissão de vigilante, em complemento à segurança pública, incluídas as atividades relativas à vigilância patrimonial, à segurança física de estabelecimentos financeiros e outros, preparo para dar atendimento e segurança às pessoas e manutenção da integridade do patrimônio que guarda, bem como adestramento para o uso de armamento convencional e o emprego de defesa pessoal; e
  2. Elevar o nível do segmento da segurança privada a partir do ensino de seus vigilantes.

2.2. Específicos
Ao final do CFV, o aluno deverá adquirir conhecimentos, técnicas, habilidades e atitudes para:

  1. Compreender o ser humano como titular de direitos fundamentais;
  2. Desenvolver hábitos de sociabilidade no trabalho e no convívio social;
  3. Executar uma vigilância dinâmica e alerta, interagindo com o público em geral;
  4. Prevenir ocorrências inerentes às suas atribuições, dentro da área física a ele delimitada, a fim de manter a integridade patrimonial e de dar segurança às pessoas;
  5. Antecipar-se ao evento danoso, a fim de impedir sua ocorrência ou de minimizar seus efeitos, principalmente, adotar as providências de auxílio aos agentes de segurança pública, como o isolamento do local;
  6. Operar com técnica e segurança equipamentos de comunicação, alarmes e outras tecnologias de vigilância patrimonial;
  7. g) manusear e empregar, com segurança, armamento letal convencional na atividade de vigilante, de forma escalonada e proporcional, como instrumentos de defesa própria ou de terceiros;
  8. h) defender-se com o uso de técnicas adequadas;
  9. i) manter-se saudável e em forma física;
  10. j) identificar condutas ilícitas descritas na legislação penal;
  11. k) identificar o conceito, a legislação e as atribuições das empresas de segurança privada;
  12. l) aplicar conhecimentos de primeiros socorros;
  13. m) proteger o meio ambiente;
  14. n) adotar medidas iniciais de prevenção e de combate a incêndios;
  15. o) tomar as primeiras providências em caso de crise; e
  16. p) executar outras tarefas que lhe forem atribuídas, notadamente pela criação de divisões especializadas pela sua empresa, para permitir um crescimento sustentado em todas as áreas de segurança privada.

3. PÚBLICO ALVO
O público alvo do CFV será composto pelos candidatos regularmente inscritos, após o preenchimento dos requisitos mínimos previstos em lei e, especialmente, nesta Portaria.
4. ORGANIZAÇÃO
O CFV funcionará de acordo com as disposições contidas no programa de curso, no seu regime escolar e nas demais normas vigentes.
4.1. Metodologia
Os CFVs adotarão a metodologia do ensino direto, utilizando-se de métodos e técnicas de ensino individualizado, coletivo e em grupo, enfatizando ao máximo a parte prática, no intuito de alcançar os objetivos propostos para o curso, bem como palestras e mesas redondas abrangendo temas de interesse dos futuros vigilantes. Os exercícios simulados, aproximados ao máximo da realidade, serão admitidos para aguçar a destreza e como antecipação aos exercícios reais, desde que em condições de segurança adequadas, a cargo e sob a responsabilidade do curso.
A disposição do plano de curso e a grade horária ficam a cargo dos cursos de formação, em conformidade com este programa de curso.
As disciplinas teóricas (excetuadas a de Educação Física, Prevenção e Combate a Incêndio, Primeiros Socorros, Defesa Pessoal e Armamento e Tiro) serão ministradas de forma sequencial, quando o conteúdo programático exigir de uma seja pré-requisito para as subsequentes.
A linguagem usada pelo professor e a complexidade na apresentação dos temas deverão levar em consideração a escolaridade e os alunos com nível de compreensão mais baixo.
Os professores serão selecionados conforme as especialidades, por meio de credenciamento, sendo que os psicólogos que venham a aplicar os testes psicológicos deverão estar inscritos no Sistema Nacional de Armas – SINARM.
Os monitores serão de livre opção dos cursos de formação, desde que estas observem o desenvolvimento do conteúdo programático e a segurança dos alunos.

Os cursos de formação deverão manter em arquivo o plano de curso, grade horária e os planos de aula elaborados pelos professores, a serem apresentados por ocasião da fiscalização.
As aulas teóricas de Tecnologias Não-Letais devem abordar de forma abrangente todas as circunstâncias e cenários de seu possível uso, objetivando preservar a incolumidade física das pessoas controladas com uso da força durante o exercício da profissão, em conformidade com os preceitos das Organizações das Nações Unidas – ONU relativos aos direitos humanos.
As aulas de Armamento e Tiro deverão ser distribuídas ao longo do curso, de forma intercalada com as demais disciplinas, com o fim de valorizar o manuseio e propiciar intimidade com a arma, mediante exercícios de empunhadura, visada e tiros em seco antes do tiro real. O tiro real não poderá ser realizado em uma única etapa, cuja distribuição seguirá o programa de matéria abaixo.
4.2. Carga horária
A carga horária total do curso será de 200 h/a, podendo ocorrer diariamente no máximo 10 h/a.
As aulas práticas devem estar intercaladas com as aulas teóricas, de modo a garantir ao menos 1 h/a das disciplinas práticas por dia. São disciplinas práticas: Educação Física, Defesa Pessoal e Armamento e Tiro.
4.2.1. Distribuição do tempo
a) Disciplinas curriculares ………………………………………………………………..174 h/a
b) Verificação de aprendizagem………………………………………………………….24 h/a
c) Abertura de curso……………………………………………………………………………..2 h/a
TOTAL…………………………………………………………………………………………..200 h/a

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA O INICIO DO CURSO
 
DOCUMENTOS PESSOAIS
COPIA E ORIGINAL

  1. Identidade -Dentro da Validade. Emitida pelo IFP ou Detran
  2. CPF É valido o que é exposto na Cedula de Identidade
  3. Comprovante de Residencia – Recente ( Menos que 1 mês) em nome do Próprio, Pai ou Mãe
  4. Comprovante de Escolaridade acima de 4º Serie Completa, asinado e Carimbado pelo diretor da instituição, constando a matricula do MEC
  5. Titulo de Eleitor
  6. Certificado de Reservista ou Dispensa – Somente para Homens
  7. Carteira de Trabalho com espaço para Anotação nas paginas de anotações gerais.

CERTIDÕES NEGATIVAS ( Podem ser providenciadas pela NOVCON-SP – Informe-se)

  1. Criminal da Justiça Estadual (Criminal)
    Caso seja morador do Município do Rio somente providenciar: 1° 2º 3º 4º Oficio. Caso seja morador de fora do Município do Rio de Janeiro, providenciar as certidões do 1° 2º 3º 4º Oficio mais a certidão do fórum da cidade onde reside.
    Em Dia ( Validade 90 dias),(Caso seja do 1° ao 4° oficio, validade 6 meses)
    Da cidade em que reside, coincidindo assim com o Comprovante de Residência.
  2. Criminal da Justiça Federal – www.jfrj.jus.br
    Em Dia (Validade 90 dias)
    Criminal de quitação da Justiça Eleitoral
  3. Quitação Eleitoral – www.tse.jus.br
    Em Dia (Validade até a proxima eleição)
  4. Criminal da Justiça Militar – www.stm.jus.br
    Nada constando
    Em Dia (Validade 90 dias)
  5. Atestado de Bons Antecedentes do IFP – Polícia Civil – RJ – atestadodic.detran.rj.gov.br
    Nada constando
    Em Dia (Validade 90 dias)
  6. Certidão Criminal da Justiça Eleitoral
    Crimes Eleitorais – www.tse.jus.br
    Nada constando
    Validade até a próxima eleição.